Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Galeria de Fotos  

Audiência na Secretaria de Saúde Niterói

Secretária Maria Célia também discutiu precariedade da rede hospitalar com Sindsprev/RJ e Associação
Secretária de Saúde de Niterói, Maria Célia Vasconcellos, discutiu precariedade da rede hospitalar com Sindsprev/RJ e Associação dos Servidores Públicos Municipais - Foto: Fernando de França

Niterói: saúde anuncia atualização do PCCS a partir de Setembro/2018 e concurso este ano

16/08/2018


Secretária de Saúde de Niterói, Maria Célia Vasconcellos, à esquerda, conversa com representantes do Sindsprev/RJ e da Associação dos Servidores Públicos Municipais
Foto: Fernando França

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por André Pelliccione

Reunida com representantes do Sindsprev/RJ e da Associação dos Servidores Públicos Municipais da Saúde de Niterói (ASPMSN) no dia 15/8, a secretária municipal de saúde, Maria Célia Vasconcellos, afirmou que as atualizações do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) começarão a ser implementadas a partir de setembro deste ano, da seguinte forma: em setembro, atualização relativa ao ano de 2014 e, a cada dois meses, as atualizações correspondentes aos anos subseqüentes (de 2015 a 2017). Quanto à nova tabela do PCCS (2018), já aprovada em assembleias dos servidores, o cronograma de implementação será discutido numa próxima reunião marcada para 5/9, às 14h.

Na reunião Maria Célia também informou que ainda este ano o município vai realizar concurso para a Fundação Municipal de Saúde e que, em 2019, haverá outro concurso. A secretária, contudo, não precisou o número de vagas a serem oferecidas pelo concurso de 2018, cujo edital terá de ser publicado ainda este ano. A expectativa da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Niterói é de que as nomeações dos futuros aprovados sejam efetuadas até março de 2019.

A Associação e o Sindsprev/RJ reivindicam que o concurso atenda às áreas de urgências, especialidades, saúde mental e saúde da família.

Quanto às precárias condições de trabalho e atendimento nas unidades da saúde municipal, Maria Célia e o vice-presidente de Atenção Hospitalar, Ramon Sánchez, também presente à reunião, informaram sobre algumas providências tomadas no âmbito da SMS, como novas licitações para compra de aparelhos de endoscopia/colonoscopia do Hospital Carlos Tortelly (CPN), além do prosseguimento das obras do telhado e do CTI do Hospital Orêncio de Freitas (HOF). No CPN, segundo Ramon Sánchez, as duas enfermarias do 1º andar, atualmente muito precarizadas, serão transferidas para o 2º andar da unidade. A farmácia do CPN será remanejada e, também de acordo com Ramon, será instalado um centro de diagnóstico integrado, com exames de tomografia, raio X digital e ultrassom, entre outros. "Nosso objetivo é solucionar essas carências o mais rapidamente possível, para garantir a continuidade dos atendimentos à população", afirmou Maria Célia.

Sindicalistas querem prazo menor para implementar nova tabela

O informe de que o cronograma de implementação da nova do PCCS para 2018 ainda será definido frustrou os sindicalistas presentes à reunião, que esperavam um prazo bem menor. “A Secretaria Municipal de Saúde já tem um estudo pronto sobre o impacto financeiro da implementação da nova tabela do Plano de Carreira. Por que então não antecipar ? Os servidores precisam urgentemente de melhorias salariais e da valorização de suas atividades. É isto que vai melhorar a vida dos trabalhadores”, afirmou Charles Gonçalves dos Santos, dirigente da Regional Niterói do Sindsprev/RJ e da ASPMSN.

“A reunião mostrou a perspectiva de implementação do PCCS do município, embora o prazo esteja muito dilatado. Sobre os concursos anunciados pela secretária, me preocupa a possibilidade de que eles talvez não atendam às reais necessidades de pessoal na rede de saúde, que hoje são de no mínimo 3.500 servidores. Uma rede que ainda tem muitos servidores recebendo por meio de RPAs, numa relação de trabalho precarizada. É preciso lembrar também que a rede pública está cada vez mais sobrecarregada porque muitas pessoas perderam seus planos de saúde e correm para unidades como CPN e Orêncio de Freitas”, frisou Sebastião José de Souza (o Tão), que representou o Sindsprev/RJ na reunião com Maria Célia Vasconcellos. 

A luta pela implementação do PCCS vem sendo organizada há anos pelo Sindsprev/RJ e a Associação de Servidores, que primeiro apresentaram uma proposta de tabela salarial posteriormente foi modificada a partir de negociações com a Prefeitura. A tabela com as modificações, que incluiu concessões da parte dos servidores, foi aprovada em assembléias da categoria e é a mesma que aguarda a tão esperada implementação. 





Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec