Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Saúde Federal  

Novo diretor do Inca não comparece à audiência na Alerj

15/06/2015

Da Redação do Sindsprev-RJ
Por Hélcio Duarte Filho

O novo diretor-geral do Instituto Nacional do Câncer (Inca), Paulo Eduardo Xavier de Mendonça, não compareceu à audiência pública convocada pela Comissão de Trabalho da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), que acontece na manhã desta segunda-feira (15). Por meio de ofício, ele comunicou ao presidente da comissão, deputado Paulo Ramos (Psol), que não compareceria não por problemas de agenda, mas por ter assumido o cargo há pouco tempo e não ter condições de dar as respostas às perguntas que naturalmente seriam feitas. “Estamos em fase de mapeamento das necessidades institucionais”, assinalou na nota.

No cargo desde o dia 8 de junho, Paulo Eduardo disse que se colocava à disposição da comissão para comparecer em uma nova data, de preferência em julho. O Sindsprev-RJ participa da audiência, assim como outras entidades e servidores do instituto.

O deputado Paulo Ramos abriu a audiência afirmando que o Inca corre risco de ser privatizado, da mesma forma que vem acontecendo com os hospitais da saúde estadual e municipal. “O Sistema Único de Saúde vem progressivamente sendo desmontado”, disse. Ele criticou ainda o anúncio da ampliação do Inca por meio da construção de novos prédios na área anteriormente ocupada pelo Iaserj, o hospital dos servidores estaduais, que foi demolido – o que chamou de “golpe” contra a saúde pública.

A ex-deputada Janira Rocha destacou a importância de o diretor do hospital ouvir os servidores e o papel que a categoria cumpre na defesa da saúde pública. “Se os trabalhadores não lutassem, muitos dos serviços essenciais para população nem sequer existiriam mais”, disse.

O enfermeiro Henrique dos Santos, do Núcleo Sindical do Sindsprev-RJ no Inca, afirmou que o maior sucateamento que o instituto passa hoje é de sua mão-de-obra, de seus profissionais. “Serviços que antes eram feitos por três, quatro, agora é feito por um [profissional]”, disse.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec