Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Saúde Federal  

Hospital de Bonsucesso aprova fortalecer mobilização do dia 14

08/04/2016

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por Olyntho Contente

Em assembléia, nesta quinta-feira (7), pela manhã, os profissionais de saúde do Hospital Federal de Bonsucesso (HFB), aprovaram engrossar as mobilizações do próximo dia 14, quando os hospitais federais vão parar por 24 horas. Apesar de não ter decidido aderir à paralisação, os servidores farão um protesto, às 9 horas, em frente à unidade, seguindo, logo depois, em ônibus do Sindsprev/RJ, para o ato unificado que começa em frente ao Hospital dos Federal dos Servidores, próximo à Praça Mauá, de onde vão em passeata unificada de todos os federais da saúde, até o prédio onde funciona o Núcleo do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro (Nerj), na Rua México, 128.

A mobilização do dia 14 faz parte da luta em defesa da jornada de 30 horas, pelo respeito ao processo de negociação e aos acordos de greves passados e a gestão pública da saúde e contra as ameaças de privatização, entre outras exigências. O movimento é ainda contra a aprovação dos 55 projetos que tramitam no Congresso Nacional, e que reduzem ou extinguem direitos dos servidores, permitindo a demissão, o congelamento de salários e a reforma da Previdência, não apenas no serviço público, como a da Previdência Geral.

Os servidores do INSS vão aderir à paralisação que é nacional.

Entenda os motivos e a resposta

As medidas contra os servidores estão concentradas, internamente nas unidades, na tentativa de impor o ponto biométrico, algo que é apontado como a abertura de caminho para privatização via Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares) e como uma ameaça à jornada de 30 horas semanais. Em âmbito geral, o governo tenta aprovar um projeto de lei complementar, o PLP 257/2016, que atinge todo o serviço público e pode levar ao congelamento de salários, a mais cortes orçamentários, à proibição de criação de vagas e à programas de demissões voluntárias.

A adesão à paralisação, que está sendo construída nacionalmente, foi definida na assembléia realizada na sede do Sindsprev-RJ, na noite da última terça-feira (5). O protesto deve reunir servidores de todas as unidades hospitalares federais do Rio, além de cedidos a unidades municipais.

Os servidores do INSS também já decidiram, em assembleia, para no dia 14 por 24 horas. Vão exigir o cumprimento do acordo de greve, contestar o projeto que ataca os serviços públicos e cobrar condições de trabalho adequadas. 






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec