Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Saúde Federal  

Lançada Frente Contra o Desmonte e a Privatização da Saúde Federal

10/07/2017


Ato de lançamento da Frente lotou auditório do Hospital Federal do Andaraí, onde o Sindsprev/RJ defendeu unidade entre os sindicatos como forma de derrotar o sucateamento e a privatização

Foto: Fernando França

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por Olyntho Contente

Mais de 80 entidades sindicais, conselhos de categorias, parlamentares e servidores da saúde federal e estadual participaram do lançamento da Frente em Defesa dos Institutos e Hospitais Federais do Rio de Janeiro, Contra o Sucateamento e a Privatização. A cerimônia lotou o auditório do Hospital do Andaraí, que, como as demais unidades da rede federal, vem sofrendo um ataque agressivo por parte do governo, ampliado desde o início deste ano, através da rescisão de contratos temporários de centenas de profissionais, do fechamento da emergência e diversas clínicas, da não realização de concurso para reposição de pessoal, do corte de verbas e da falta de medicamentos, insumos e equipamentos.

O diretor do Sindsprev/RJ Sidney Castro condenou o que chamou de 'política genocida' do governo Temer, implementada através do ministro da Saúde, Ricardo Barros, que vem desmantelando os hospitais federais e colocando em risco de forma irresponsável a vida de milhares de pessoas. Para o dirigente, o objetivo é tentar passar para a população a impressão de que o que é público não funciona para então privatizar de vez a saúde. Sidney defendeu a unidade entre os sindicatos, demais entidades e partidos de oposição como única forma de derrotar esse projeto e fazer cumprir o que está previsto na Constituição de 1988: que o Estado é o responsável pela prestação de serviços de saúde públicos, gratuitos e de qualidade à população.

“Nos governos anteriores esse projeto vinha sendo colocado em prática, mas com Temer ele passou a ser imposto de forma mais contundente, exigindo de nós uma resposta unitária à altura. A Frente veio para organizar esta resposta, unindo todos os setores num movimento contra a privatização e em defesa dos hospitais federais, do estado e do município”, afirmou, lembrando que o projeto de desmonte e privatização vem sendo colocado em prática, em conjunto, pelos governo Temer, Pezão e Crivela.

Luta em Brasília

O deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ) elogiou a criação da Frente no Rio de Janeiro e defendeu uma luta nacional em defesa da saúde. Adiantou que, nesse sentido, está recolhendo assinaturas para a criação de uma Frente Parlamentar em Defesa dos Institutos e Hospitais Federais na Câmara dos Deputados. “A gente vive um momento muito conturbado. O governo Temer é um bando de denunciados, presos, investigados por corrupção sem a mínima autoridade moral para nada. E querem entregar a saúde para planos privados. Nossa obrigação é lutar contra, é não deixar”, frisou.

A avaliação do parlamentar é de que Temer deve cair. “Mas não nos iludamos. Se cair, continua o seu governo, com as mesmas políticas contra o povo e com a sua visão privatizante. Nossa tarefa é árdua e difícil, mas com a força da base dos servidores e da população temos condições de sair vitoriosos”, afirmou.

A deputada estadual Enfermeira Rejane (PCdoB-RJ) lembrou que os hospitais e institutos federias do Rio de Janeiro são a última trincheira da saúde pública. Defendeu a vinda de representantes do Conselho Nacional de Saúde (CNS) ao estado, que fariam denúncia aos órgãos internacionais sobre o desmantelamento dos hospitais e as consequências gravíssimas para a população.

Marcelo de Lucca, servidor do Andaraí e integrante do Movimento Independente dos Trabalhadores do hospital, lembrou que em 2014 os servidores, com suas mobilizações e greve, conseguiram barrar a privatização que seria feita através da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). “Com unidade será possível fazer isto agora”, argumentou. A servidora Lúcia Pádua, do Movimento de Mobilização dos Servidores da Saúde Federal, classificou como criminosa a atitude do ministro da saúde, que vem cortando verbas, não renovando contratos temporários, fechando setores inteiros e deixando a população entregue à própria sorte.

“Todos sabem que Ricardo Barros é o ministro dos planos de saúde, cujo projeto é entregar as unidades federais a grupos privados. Podemos barrar esse projeto e defender as 11 unidades sob ataque. Hoje é o recomeço desta luta que, desta vez, tem que ser ainda mais ampla do que foi a de 2014, com a participação de todos os servidores, cujos empregos estão ameaçados, com as entidades classistas, conselhos, parlamentares, enfim, amplos segmentos sociais. Se fizermos isto, vamos barrar este processo. E o primeiro passo está sendo dado hoje com a criação desta Frente", sintetizou.

Deputado Federal Chico Alencar (PSOL-RJ), ao microfone, e vereador Renato Cinco (PSOL-RJ) prestigiaram o lançamento da Frente em Defesa dos Institutos e Hospitais Federais (Foto: Fernando França)



Ato Frente Nacional Contra Privatização dos Hospitais

Participaram mais de 80 entidades sindicais, conselhos de categorias, parlamentares e servidores da saúde federal e estadual. Cerimônia lotou o auditório do Hospital do Andaraí, nesta segunda-feira (10/7).
- Foto: Fernando de França



     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec