Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
DRT  

Novo titular da SRTE-RJ promete buscar solução para pendências dos servidores

02/02/2016

Superintendente Robson Leite (à direita), em reunião com servidores e representantes do Sindsprev/RJ
Foto: Fernando França

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por André Pelliccione

Em reunião com representantes do Sindsprev/RJ e uma comissão de servidores do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o novo superintendente regional de trabalho e emprego do Rio de Janeiro (SRTE-RJ), Robson Leite, prometeu buscar soluções para atender às reivindicações apresentadas pelos trabalhadores, como fim do assédio moral, respeito à jornada de 6h prevista no acordo de greve de 2010, melhoria das condições de trabalho, respeito aos critérios de impessoalidade nas remoções, fim das discriminações contra os agentes de higiene e segurança do trabalho (AHST) e correção de todas as distorções no pagamento da Função Comissionada Técnica (FCT) aos servidores lotados no seguro-desemprego.

Após ouvir do Sindsprev/RJ relatos de casos de assédio moral, Robson concordou com proposta, apresentada pelo Sindicato, de que se forme uma comissão encarregada de apurar as situações de conflito e apresentar soluções. O formato da Comissão ainda será definido. “Queremos que o Sr. nos ajude a sanar o problema do assédio”, disse o servidor Jorge Queiroz.

Sobre a precariedade das condições de trabalho — como móveis quebrados ou inadequados, falta de ar-condicionado e de computadores, entre outros —, o superintendente informou que já está sendo providenciado novo mobiliário para as agências do Ministério. “Minha intenção é melhorar a gestão. Tenham certeza disso”, afirmou Robson Leite.

Na reunião, o Sindsprev/RJ e os servidores reclamaram do fato de que as remoções entre setores da SRTE não estariam sendo realizadas segundo os critérios de impessoalidade previstos na legislação e normas da administração pública, sendo utilizadas como forma de pressionar os servidores nos locais de trabalho. Ainda segundo os servidores, o mesmo estaria ocorrendo na jornada de 6h diárias conquistada no acordo de greve. “É um absurdo que a manutenção da jornada diária de 6h fique dependendo do humor das chefias. Essa situação não pode mais continuar”, afirmou Ronan Santos, da direção do Sindsprev/RJ.

Quanto à Função Comissionada Técnica (FCT), a principal reclamação é de que não estaria sendo paga à maioria dos servidores lotados no seguro-desemprego, como deveria ser.

Sobre a situação dos Agentes de Higiene e Segurança no Trabalho (AHST), de nível técnico, servidores denunciaram o crescente esvaziamento de suas atribuições em detrimento dos auditores.

Uma última reclamação apresentada foi a de pessoal insuficiente para o atendimento, no térreo, em comparação com o número de servidores disponíveis em outros setores. “Entendemos que todas essas reivindicações devem ser preocupação da atual gestão e esperamos que sejam efetivamente resolvidas”, afirmou o servidor Luis Antonio Gonzaga.

Robson Leite prometeu avaliar cada um dos pontos apresentados e responder o mais brevemente possível. Servidores e dirigentes do Sindsprev/RJ avaliaram como positivo o primeiro contato com o novo titular da SRTE-RJ.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec