Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
DRT  

Negociação em Brasília sobre despejo do Ministério do Trabalho

18/07/2017

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por Olyntho Contente

Acontece nesta terça-feira (18/7), negociação entre sindicatos e o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, sobre o despejo dos servidores do prédio do ministério no Rio de Janeiro. A retirada dos funcionários do imóvel histórico, de propriedade do MT, foi requerida pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT-RJ), que ocupa alguns andares do imóvel. O ministro assinou uma carta de intenções de cessão do prédio com o Tribunal Superior do Trabalho (TST), mas diante da reação dos servidores da Superintendência Regional do Trabalho (SRT) e de todos o movimento sindical, ficou de estudar rever a decisão.

O despejo foi considerado pelos servidores, sindicatos e centrais sindicais um desrespeito, não só com os funcionários do MT, como com os trabalhadores que são atendidos naquele local e com a própria história da classe. Vários protestos foram realizados em frente ao prédio fundado em 1938 por Getúlio Vargas para abrigar o então Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio. A pedido do Tribunal Superior do Trabalho (TST), alguns andares foram cedidos ao TRT-RJ, em 1988, durante o governo José Sarney. Pelo contrato, o Tribunal passou a ser o responsável pela manutenção da edificação e do anexo.

Com a política de esvaziamento progressivo das funções do Ministério do Trabalho e com o objetivo de economizar com aluguéis nas ruas Gomes Freire, do Lavradio e Augusto Severo, o TRT-RJ iniciou negociações para ocupar totalmente o prédio histórico, só conseguindo alcançar sua intenção no governo Temer, conhecido pelos ataques aos direitos dos trabalhadores.

Segundo o site do TST, no dia 24 de maio último, foi assinado documento prevendo a desocupação da SRT-RJ e a cessão do prédio ao TRT. Teriam participado da assinatura do chamado “Termo de Transmissão de Instalações Físicas” o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, o presidente do TST, Ives Gandra Filho, e o presidente do TRT/RJ, desembargador Fernando Antônio Zorzenon. Segundo o site, a mudança deverá ocorrer em 15 de fevereiro próximo.

Prédio semiabandonado

O prédio que o TRT-RJ apresenta como opção para os serviços da SRT/RJ (emissão de carteira de trabalho, fiscalização, seguro desemprego, registro profissional, entre outros) não possui condições mínimas para receber os 400 servidores da superintendência. O local trará problemas também para os trabalhadores atendidos, pois fica em área perigosa e de difícil acesso, próxima ao Aeroporto Santos Dumont.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec