Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Política  

Rio terá passeata no Centro da Cidade no Dia Internacional da Mulher

05/03/2010

Por Olyntho Contente
Da Redação do Sindsprev/RJ

Como acontece todos os anos, o movimento de mulheres do Rio de Janeiro vai marcar a passagem do Dia Internacional da Mulher com uma passeata na próxima segunda-feira, 8 de março. A manifestação sairá da Candelária, às 17 horas, e irá, pela Avenida Rio Branco, até a Cinelândia. A concentração será a partir das 16 horas.

O Dia Internacional da Mulher foi criado em 1910, no II Congresso Socialista de Mulheres, em Copenhagem. Seu objetivo é lembrar dos avanços conquistados nestes 100 anos de mobilizações, protestar contra a desigualdade entre homens e mulheres, a violência, o machismo e continuar lutando por mais avanços, pelo fim da exploração e pelo socialismo.

Saúde pública de qualidade

A luta das mulheres vai continuar exigindo, também, uma saúde pública de qualidade, melhores salários, o fim do trabalho infantil e o direito ao aborto. Além disto, o fim do assédio moral e sexual nos locais de trabalho, da violência doméstica, salários iguais para funções iguais e pelo direito à creche.

As mulheres ainda são tratadas como mão de obra barata e objetos sexuais. São comparadas a marcas de cervejas, são ofendidas em letras de músicas e programas de TV, nas ruas, no trabalho, em escolas e universidades.

Apesar de serem 50% da população mundial e 41% da população economicamente ativa, a situação das trabalhadoras no mundo é de barbárie. Dados do Unicef e da Unesco revelam que dos cerca de um bilhão de analfabetos existentes, dois terços são mulheres. Dos mais pobres do mundo, 70% são mulheres. Ainda segundo o Unicef, 25% das mulheres latino-americanas já sofreram algum tipo de violência em casa.

A luta constante das mulheres trabalhadoras, seja por salários melhores, creches, direito de decidir sobre seu corpo ou direito ao voto, seja contra a violência doméstica, ao longo do tempo, deu origem a grupos de mulheres em sindicatos, organizações estudantis, partidos políticos e ONGs.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec