Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Geral  

Recomeça a luta nacional contra o aumento nas passagens

12/01/2015

Ato no Centro do Rio, na sexta-feira (9), contra o aumento das passagens
fotos: Fernando Frazão/Abr

Da Redação do Sindsprev-RJ
Por Hélcio Duarte Filho e André Pelliccione

Manifestações contra o aumento no preço das passagens do transporte público voltaram às ruas do país. Atos simultâneos, na sexta-feira (9), em algumas capitais – como Rio, São Paulo e Belo Horizonte, dentre outras cidades – não reuniram as multidões de junho de 2013, mas fizeram barulho, recolocaram a questão em pauta e abriram as possibilidades de crescimento do movimento.

No Rio, o protesto começou na Cinelândia ao final da tarde e terminou, à noite, na Central do Brasil. Em São Paulo, a Polícia Militar reprimiu a manifestação com violência e deteve cerca de 50 pessoas, que pouco depois foram liberadas. A violência da ação policial foi denunciada nas redes sociais por ativistas que participaram do ato, o maior realizado naquele dia: estima-se que 15 mil pessoas foram às ruas da capital paulista. Em Belo Horizonte, enquanto acontecia o protesto, o Tribunal de Justiça suspendeu parcialmente o aumento – deferindo liminar que restabelece o preço anterior para linhas suplementares.

Em 2013, quando milhões de brasileiros ocuparam as ruas, o aumento no valor da passagem era de 20 centavos em São Paulo, onde os atos começaram, e em outras cidades. Agora, a conta é maior: as tarifas dos ônibus no Rio subiram de R$ 3,00 para R$ 3,40. O ato foi convocado pelo Movimento Passe Livre, junto com outras entidades que ajudaram a convocá-lo. A luta contra o aumento e pela tarifa zero terá continuidade: os organizadores prometem novas manifestações nos próximos dias.

O Sindsprev-RJ apoia e participa da luta contra o aumento das passagens e considera o momento oportuno para debater a situação geral do transporte no país, os resultados das privatizações, a necessidade da reestatização sob controle social dos trabalhadores e a própria tarifa zero.


Protesto no Rio: não ao aumento nas tarifas do tranbsporte público

 






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec