Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Geral  

Antigo PAM Irajá pode parar se problemas não forem resolvidos

21/05/2015

Da Redação do Sindsprev-RJ
Por Hélcio Duarte Filho

Servidores do antigo PAM Irajá não descartam parar caso Os servidores do Hospital Francisco da Silva Telles, o antigo PAM Irajá, sob gestão da Prefeitura do Rio, podem paralisar suas atividades caso os problemas relacionados à segurança e funcionamento da unidade não forem solucionados. É o que afirmam os dirigentes estadual e regional do Sindsprev/RJ Sidney Castro e Roberto Sucro.

Eles acompanharam a ultima reunião no hospital, quando a direção da unidade solicitou um prazo de 12 dias para reinstalação do portão na entrada da Unidade dos Pacientes Graves (UPG). Após a retirada do portão, houve registros de casos de agressões a servidores e até o ‘sumiço’ de um paciente, que deixou o tratamento passar pelos trâmites regulares.

Segundo Sidney Castro, porém, os problemas vão além do portão. Houve corte de 30% no quantitativo de vigilantes terceirizados, casos de assédio moral e perseguição estariam ocorrendo e a falta de insumos se agravou. O elevador funciona precariamente e até a iluminação da unidade foi reduzida para economizar dinheiro. “É uma contenção de despesas que coloca os profissionais e os pacientes em risco”, afirma.

Outra reivindicação é que seja fechada uma passagem que dá acesso ao estacionamento, também por motivos de segurança. Há alguns meses, uma servidora foi vítima de sequestro relâmpago quando se dirigia a seu carro. 

O prazo para recolocação do portão se encerra no dia 28, quando os servidores devem se reunir novamente e definir o que fazer.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec