Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Geral  

Plenária da seguridade aprova calendário de lutas com indicativo de greve a partir de 7/07

17/06/2015

Plenária da seguridade e seguro social dessa quarta (17/06), que aprovou plano de lutas
Foto: Fernando França

 

Por Secretaria de Imprensa do Sindsprev/RJ*

Reunidos em plenária no auditório do Sindsprev/RJ, na noite dessa quarta-feira 17, os servidores da seguridade e seguro social do estado do Rio (Saúde Federal, Saúde Estadual, saúdes municipais, INSS, PSF, MPS, DRTs, Funasa e Anvisa) aprovaram um calendário de mobilizações unificadas como resposta aos ataques movidos por governos das três esferas aos seus direitos.

As principais deliberações da plenária foram: realização de visitas às agências do INSS, de 19 a 29 de junho, organizando os servidores do Instituto para a luta por reajuste, em defesa das 30h para todos, revisão do PCCS e incorporação da GDASS; realização de ato unificado da saúde estadual, dia 24/06, às 10h, no Largo do Machado; participação de representantes de núcleos de base e regionais do Sindsprev/RJ em audiência pública sobre a regularização de ACS e ACEs, dia 29/06, às 10h, na Alerj; participação do Sindsprev/RJ na próxima plenária nacional da Fenasps, dia 4/07, em Brasília; e realização de assembleia dos setores federais (Saúde Federal, MPS, DRTs e Anvisa), dia 6/07, às 18h, no Sindsprev/RJ, quando os servidores vão decidir sobre a possível participação na greve geral da seguridade e seguro social prevista para começar em 7 de julho, conforme indicativo da Fenasps (Federação Nacional).

Liminar proibiu realização de assembleia

A plenária foi realizada em substituição à assembleia estatutária que estava convocada oficialmente para o mesmo dia 17/06, com pauta que incluía, entre outros temas, a eleição de um novo Conselho Fiscal do Sindsprev/RJ e a prestação de contas da atual gestão do Sindicato, relativas ao período 2012-2014. Por decisão liminar da Juíza do Trabalho Márcia Regina Leal Campos, contudo, em ação movida por um grupo de diretores do Sindsprev/RJ, a assembleia não pôde acontecer, o que gerou duras críticas por parte de servidores e dirigentes do Sindicato que compareceram à plenária.

“Vamos acatar a decisão da Justiça e por isso não instalamos a assembleia, mas queremos dizer em alto e bom som que jamais deixaremos de lutar pelos interesses dos servidores da base do Sindsprev/RJ. Por isso estamos hoje aqui para definir nosso plano de lutas da seguridade social. Nunca vamos permitir que o governismo paralise o nosso Sindicato. Não aceitamos as tentativas de criminalizar a nossa entidade, tentando nos confundir com máfias sindicais que existem por aí. O Sindsprev/RJ é um sindicato de luta, que não recebe um centavo de imposto sindical. Aqui quem sustenta a entidade são os trabalhadores. Nosso sindicato não vai abaixar a cabeça pra governo algum”, afirmou, sob aplausos, a servidora do INSS e ex-dirigente do Sindsprev/RJ Janira Rocha.

“Por mais que haja liminar, não abriremos mão do nosso legítimo direito de organizar os trabalhadores na luta para barrar os ataques que os governos movem contra o serviço público. Daí a importância de termos um sindicato independente como o Sindsprev/RJ, que não tem rabo preso com governo algum”, afirmou Sebastião José de Souza (Tão), da direção do Sindicato, no que foi apoiado pela também dirigente Milena Lopes: “nós estamos aqui, nesta plenária, para mobilizar a base da nossa categoria e queremos dizer que não vamos perder o Sindsprev/RJ para o governismo”.

O também diretor do Sindsprev/RJ Rolando Medeiros fez coro com as críticas dirigidas ao setor da diretoria do Sindicato que ingressou com o pedido de liminar para impedir a realização da assembleia. “Ao contrário de quem ingressou na Justiça e assim vem ajudando o governismo, o setor que chamou a assembleia tem efetivo compromisso com a categoria. O objetivo da assembleia era fazer a prestação de contas, num ato de transparência. Se a assembleia tivesse sido realizada, seria mais fácil unirmos forças na luta contra as políticas dos governos. Infelizmente, há setores que não querem ver a categoria dentro do Sindicato”, disse, em referência aos dirigentes que ingressaram com o pedido de liminar acatado pela juíza Márcia Regina Leal Campos.

Construir a unidade dos servidores

Antes de aprovar o calendário de lutas, a plenária teve um período de apresentação de informes das mobilizações nas principais frentes da seguridade, como a regularização de ACS/ACE nos municípios de São João de Meriti, Itaguaí, Saquarema, São Pedro da Aldeia, Rio das Ostras, Rio Bonito, Arraial do Cabo e Cabo Frio; Saúde Estadual; Saúde Federal; Funasa e INSS.

Na parte dos informes, servidores de base destacaram a importância de se construir uma grande unidade de todos os setores da seguridade. “Nos hospitais estaduais, os servidores estatutários estão sendo pressionados a sair para que as unidades sejam entregues às ‘organizações sociais’ [O.S.]. Temos que reagir. Temos que conquistar o nosso PCCS e devemos fazer isso juntos”, afirmou a servidora Cristiane Dutra, do Hospital Estadual Azevedo Lima.

Outro importante indicativo aprovado na plenária dessa quarta-feira 17 foi a publicação, no Jornal do Sindsprev/RJ Online, da prestação de contas da entidade relativas ao período 2012-2014. O objetivo é familiarizar os servidores da base do Sindsprev/RJ para a discussão formal do assunto, quando for realizada futura assembleia de prestação de contas, se assim for aceito pela Justiça do Trabalho na audiência marcada para o dia 26/06.

*postagem de responsabilidade da Secretaria de Imprensa do Sindsprev/RJ






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec