Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Geral  

Rio terá protestos contra o aumento na tarifa dos ônibus nesta sexta (15)

15/01/2016

Manifestação no Rio contra o aumento da passagem, na sexta-feira (8)
foto: Niko

Da Redação do Sindsprev-RJ
Por Hélcio Duarte Filho

A mobilização que tenta derrubar o aumento do preço das tarifas dos transportes públicos urbanos terá novo dia de manifestações no centro do Rio nesta sexta-feira (15). O movimento que atinge várias cidades do país defende a revogação da majoração nos preços, a estatização dos meios de transporte e a instituição da tarifa zero.

A plenária popular que definiu como será o protesto marcou a concentração para as 17 horas, na Candelária. Está sendo convocado, ainda, outro ato, com basicamente as mesmas reivindicações, na Cinelândia – ele está sendo organizado por setores que não concordaram com os encaminhamentos aprovados na plenária.

A movimentação dessa sexta marcará o segundo dia de protestos na capital fluminense esse ano contra o aumento e pelo passe livre. No primeiro ato, na sexta-feira (8), quase quatro mil pessoas saíram em passeata pelas principais avenidas do centro – houve repressão policial quando os manifestantes chegaram à Central do Brasil. O ato também defendeu o fim do processo contra os 23 ativistas que participaram de campanhas anteriores e liberdade para o jovem Rafael Braga, condenado sem provas pela Justiça nos desdobramentos das jornadas de junho de 2013.

Atos em São Paulo

Em São Paulo, ocorreram três manifestações esse ano. A última foi nesta quinta-feira (14), no centro da cidade, em meio à grande repercussão da repressão promovida pela Polícia Militar do governo Geraldo Alckmin no protesto anterior, transcorrido na terça-feira (12). Neste dia, a PM cercou e encurralou os manifestantes. Em determinados períodos, chegou a lançar uma bomba de efeito moral a cada sete segundos. Estudantes e trabalhadores foram agredidos com cassetetes. A Anistia Internacional no Brasil classificou a ação como típica de governos autoritários.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec