Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Geral  

Saúde federal prepara ato e paralisação para 14 de abril

05/04/2016

Da Redação do Sindsprev-RJ
Por Hélcio Duarte Filho

Os servidores da saúde federal no Rio também preparam paralisação de 24 horas para o dia 14 de abril, quando haverá ato público pela manhã para repudiar o pacote de medidas que o governo tenta impor e que atingem todo o funcionalismo. A manifestação defenderá ainda a jornada de 30 horas, o respeito ao processo de negociação e aos acordos de greves passados e a gestão pública da saúde, contra as ameaças de privatização.

A manifestação está marcada para as 9 horas da manhã, no Hospital Federal dos Servidores do Estado, na Praça Mauá, de onde a categoria sairá em passeata pelas ruas do Centro até a coordenação do Ministério da Saúde no Rio (Nerj), na rua México 128. A concentração para o ato, porém, começará já nas primeiras horas da manhã, em frente ao hospital.

As medidas contra os servidores estão concentradas, internamente nas unidades, na tentativa de impor o ponto biométrico, algo que é apontado por servidores mobilizados como a abertura de caminho para privatização via Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares) e como uma ameaça à jornada de 30 horas semanais. Em âmbito geral, o governo tenta aprovar um projeto de lei complementar, o PLP 257/2016, que atinge todo o serviço público e pode levar ao congelamento de salários, a mais cortes orçamentários, à proibição de criação de vagas e à programas de demissões voluntárias.

A adesão à paralisação, que está sendo construída nacionalmente, foi definida na assembléia realizada na sede do Sindsprev-RJ, na noite desta terça-feira (5). O protesto deve reunir servidores de todas as unidades hospitalares federais do Rio, além de cedidos a unidades municipais.

Os servidores do INSS também já decidiram, em assembleia, para no dia 14 por 24 horas. Vão exigir o cumprimento do acordo de greve, contestar o projeto que ataca os serviços públicos e cobrar condições de trabalho adequadas. 

Dia da Saúde

Antes da paralisação, os servidores  devem participar do ato convocado para o dia 7 de abril pelo Fórum de Saúde e por diversas entidades sindicais e sociais. A manifestação começará, a partir das 9 horas, no Maracanã, em frente à estátua do Beline, de onde os manifestantes pretendem caminhar até o Hospital Universitário Antonio Pedro, que pertence à Uerj. O ato defenderá a saúde pública e denunciará o desmonte do setor público e a tentativa de privatizá-lo.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec