Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Geral  

‘Somos todos aposentados’, diz servidora da saúde no ato na Fazenda

14/04/2016

Da Redação do Sindsprev-RJ
Por Hélcio Duarte Filho, direto da Secretaria da Fazenda

“Somos todos aposentados”, afirmou a servidora da saúde estadual Marilea Ormond, que acompanha a ocupação da Secretaria de Fazenda do Estado do Rio de Janeiro, na av. Presidente Vargas, no Centro da capital fluminense.

O 19º andar do prédio foi ocupado por volta das 14 horas desta quinta-feira (14). Dezenas de servidores se encontram no interior do prédio, parte deles aposentados. No pátio da entrada e do estacionamento, mais de uma centena também participa da ocupação.

Do lado de fora, manifestantes fazem vigília e se solidarizam com a ocupação. A mobilização é contra os cortes de direitos, de verbas do setor público e atrasos de salários. Servidores federais, que promoveram um dia de atos e paralisações, estão no local, embora em menor número.

Para Marilea, servidora do Iaserj (Instituto de Assistência aos Servidores Estaduais), é inaceitável o que o governo estadual vem fazendo. “Como alguém pode chegar no final do mês e não ter o salário para pagar as contas?”, indagou, referindo-se à decisão do governador em exercício, Francisco Dornelles, de não depositar os salários de março dos aposentados neste mês, mas apenas na primeira quinzena de maio. “Você cumpre seus deveres e tem seus direitos negados”, disse, observando que as prioridades do governo são os grandes eventos, como a Copa do Mundo e as Olímpiadas, e subsidiar empresas como a Supervia e o Metrô. “É autoritarismo, irresponsabilidade, descompromisso e falta de seriedade desses governantes”, afirmou, ao lado de sua mãe, Jacyra dos Santos Pereira, que aos 98 anos e meio, também participa do ato.

Por volta das 19h20, uma comissão de parlamentares foi autorizada a subir para verificar a situação dos manifestantes e tentar mediar possíveis negociações – mas acabou não tendo acesso ao 19º andar. “É um gesto autoritário que só vai elevar a tensão”, disse, pouco antes, o deputado estadual Flávio Serafim (PSOL), um dos parlamentares que estão no local. Por volta das 20h15, finalmente a entrada da comissão parlamentar foi permitida. O líder do governo na Assembleia Legislativa integra a comissão.

Mais cedo, a Secretaria da Fazenda divulgou que o patrimônio público havia sido danificado, o que é falso e foi registrado por servidores com fotografias. Uma comissão de verificação, acompanhada de oficiais da Polícia Militar, percorreu o prédio para que se certificasse que não houve danos.

Segundo o diretor do Sindsprev-RJ Luiz Fernando Carvalho, servidor do INSS, que acompanha a manifestação desde o início da tarde, o clima esteve tenso na ocupação por determinado momento, quando policiais militares fizeram movimentos que poderiam sinalizar uma invasão. Agora, o clima é mais tranquilo. Não há previsão para o término da ocupação.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec