Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Geral  

Trabalhadores sem-teto acampam na Paulista por moradia e contra ‘reformas’

16/02/2017

Acampamento do MTST na av. Paulista
foto: divulgação

Da Redação do Sindsprev-RJ
Por Hélcio Duarte Filho

As barracas de lona preta estão montadas no centro financeiro da maior cidade do país. Famílias de trabalhadores sem-teto acamparam na av. Paulista, em São Paulo (SP), em frente ao escritório da Presidência da República, nesta quinta-feira (16). Eles reivindicam a retomada do “Minha Casa Minha Vida” na faixa que atende à população mais pobre. Também contestam as ‘reformas’ da Previdência e das relações trabalhistas.  

Milhares de trabalhadores participaram de duas marchas neste dia na capital paulista – uma saiu da Praça da República e outra do Largo do Batata, ambas no Centro da cidade. O Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) avaliou em 30 mil pessoas o total de participantes dos dois atos. Segundo o movimento, não há previsão de saída da av. Paulista.

De acordo com Guilherme Boulos, da coordenação do movimento, o ato é parte de um pólo de resistência aos ataques aos direitos dos trabalhadores, tanto na área de moradia, quanto no âmbito previdenciário e trabalhista. “Viemos hoje de várias partes da cidade para aqui em frente ao escritório da Presidência da República. Hoje não é mais uma manifestação, viemos para resolver. A disposição do MTST hoje é a seguinte: ou a gente sai daqui com resposta e com solução ou a gente fica aqui e vai morar aqui por tempo indeterminado”, disse durante a manifestação.

O escritório da Presidência já foi informado sobre as reivindicações do movimento. De acordo com alguns portais de notícias, no entanto, o governo Temer teria divulgado que não pretende receber os manifestantes. Barracas foram montadas na calçada da principal avenida do Centro de São Paulo. Representantes do MTST pedem apoio de quem puder ajudar com mantimentos, colchões e participação. Segundo o movimento, há receio de que haja repressão violenta por parte da Polícia Militar contra a manifestação.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec