Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
Geral  

Rio reúne multidão na Presidente Vargas contra a reforma da Previdência

15/03/2017

Manifestação ainda na Candelária, no início do protesto desta quarta (15) - foto: reprodução internet

 

Da Redação do Sindsprev-RJ
Por Hélcio Duarte Filho

Centro do Rio de Janeiro, av. Presidente Vargas, a principal daquela parte da cidade, 17h35min desta quarta-feira (15). Não há mais veículos em suas pistas. Uma multidão inicia a caminha de dois quilômetros em direção à Central do Brasil.

O Centro do Rio parou na noite desta quarta (15), dia de manifestações em todo o país. Milhares de pessoas tomaram praticamente todas as pistas da av. Presidente Vargas, no maior ato contra a 'reforma' da Previdência já realizado no estado desde a proposta entrou em tramitação no final do ano passado.

Algumas dezenas de milhares de pessoas participam do protesto – ainda não havia estimativa da quantidade de manifestantes. O ato que se opõe à PEC 287 foi convocado por todas as centrais sindicais. O Sindsprev-RJ participou – servidores da seguridade e do seguro social chegaram ao local em passeata pela av. Rio Branco, vindos da praça da rua Pedro Lessa, onde se localiza a Gerência Executiva Centro do INSS. A manifestação é parte do dia de protestos em todo o país em defesa dos direitos previdenciários.

A concentração geral para a atividade, na Candelária, começou cedo, antes do programado, por volta das 14 horas. O relógio marcava 17h35 quando os organizadores iniciaram a caminhada rumo à Central do Brasil.

"Fora Temer" foi uma das palavras de ordens mais gritadas no protesto. Muita gente carregava cartazes e faixas destacando que as mudanças que o governo tenta aprovar no Congresso Nacional representam o fim do direito à aposentadoria. "Se essa proposta passar vamos trabalhar até a morte", disse à reportagem a professora Raquel Paula, de 55 anos, da educação infantil da rede municipal de educação do Rio.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec