Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 30/05/2019 15/05/2019 14/05/2019 03/05/2019 10/04/2019
MPS  

Servidores vão participar dos protestos e paralisações de 30/08

26/08/2013

Da Redação do Sindsprev-RJ

Por Hélcio Duarte Filho

 

Os servidores públicos vão participar dos atos e paralisações convocadas pela CSP-Conlutas (Central Sindical e Popular) e demais centrais sindicais para 30 de agosto. O funcionalismo incluiu a data em suas campanhas salariais, nas três esferas de governo. No Rio, a manifestação conjunta terá concentração na Candelária, no Centro, a partir das 16 horas. Servidores da Saúde, Previdência e Trabalho das três esferas do serviço público devem participar.

 

No âmbito federal, a data está sendo construída como parte da campanha salarial da categoria, que tenta quebrar a resistência do governo Dilma Rousseff em negociar – a mudança conjuntural do país após a onda de protestos de junho ajuda na tarefa e abre novo cenário nesta luta.

 

Reunidos no Fórum Nacional das Entidades de Servidores Públicos Federais, representantes do funcionalismo reapresentaram a pauta de reivindicações ao Ministério do Planejamento, já entregue no início do ano.

 

A demandas como fixação e respeito à data-base, política salarial permanente que reponha as perdas, incorporação das gratificações e fim das privatizações, foi acrescida a defesa da antecipação da parcela de janeiro 2015 do reajuste conquistado em 2012 de 15,8% sobre a massa salarial, parcelado em três anos.

 

Pressionar mais

 

O Planejamento, no entanto, se recusa a receber os servidores para negociar. A intenção do governo, já verbalizada em reuniões setoriais, é não falar em questões salariais até o fim deste mandato da presidenta Dilma. Tal objetivo ficara evidente no ano passado quando o Planalto, embora recuasse do 'reajuste zero', impôs às categorias em greve o parcelamento dos 15,5% até janeiro de 2015.

 

A expectativa é de que a presença do funcionalismo nos ato e paralisações do dia 30 seja superior a de 11 de julho, dia de protestos e greves também convocado pelas centrais, sindicatos e movimentos sociais.

 

Na educação federal, os docentes (Andes-SN) e técnicos (Fasubra) das universidades e trabalhadores das escolas técnicas (Sinasefe) aprovaram aderir à paralisação do dia 30, sendo que os servidores das universidades prometem fazer uma semana de paralisações.

 

Dentre os pontos centrais da pauta da educação, está o combate à privatização dos hospitais universitários por meio da transferência da gestão destas unidades para a Ebeserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares). Algo, aliás, que une o setor aos servidores de toda a saúde pública, que também vivem a ameaça de privatização por meio da Ebserh, organizações sociais ou fundações.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec