Home
|
|
|
|
|

| Saúde Federal | Saúde Estadual | Saúde Municipal | INSS | MPS | Funasa | DRT | PSF ACS ACE | Ações Judiciais | Comunitário | Política | Economia | Cultura | Geral | Galeria de Fotos | Links | Erramos 13/12/2018 05/12/2018 05/12/2018 04/12/2018 28/11/2018
INSS  

INSS: assembléia na Gerência Norte indica luta por carreira, concurso e contra desmonte

17/05/2018


Servidores do INSS em assembleia na Gerência Executiva Norte

Foto: Niko

Da Redação do Sindsprev/RJ
Por André Pelliccione

Priorizar a luta pelo aperfeiçoamento da carreira do seguro social, por concurso público imediato e em defesa da previdência pública, convocando os segurados do INSS a participarem das mobilizações. Esta foi a diretriz geral aprovada pela assembleia de servidores do INSS lotados na Gerência Norte do Instituto, realizada na última quarta-feira 16, no prédio da APS de Irajá.

O indicativo geral da assembleia será levado à próxima Plenária Nacional da Fenasps, dia 20 de maio, e ao II Encontro Nacional em Defesa da Previdência Social e do Serviço Social no INSS, de 26 a 28 de maio. Os dois eventos acontecerão em Brasília, com participação do Sindsprev/RJ.

A assembléia também abordou preocupações expressas pelos servidores do INSS em nível nacional, como as conseqüências da introdução dos projetos INSS-Digital e Teletrabalho, além da necessidade de garantia das 30h semanais para todos (atividades-meio e fim) e da suspensão dos próximos ciclos da GDASS, entre outras questões ainda pendentes.

“Temos que atentar para a situação gravíssima que vivenciamos no INSS, onde o desmonte praticado pelo governo Temer está inviabilizando a carreira do seguro social e os direitos de servidores e segurados do Instituto. Abrir novos concursos, por exemplo, é decisivo para reestruturarmos a carreira, pois sem servidores não haverá mais carreira alguma”, afirmou Paulo Américo Turl Machado, da direção do Sindsprev/RJ.

Construir a mobilização em aliança com segurados

“Infelizmente, o caos é a nossa realidade no INSS, onde cerca de 19 mil servidores devem deixar o Instituto após 2019, quando incorporarem a GDASS. O sucateamento do INSS foi intensificado ainda mais quando a autarquia passou a não ter mais um ministério próprio e ficou atrelado ao Ministério do Desenvolvimento Agrário. Temos que reorganizar as nossas lutas a partir de uma aliança com a população, os segurados, que são brutalmente afetados pelo desmonte do INSS. É possível construir uma nova mobilização e até uma possível greve, mas não é um processo rápido”, completou Rolando Medeiros, também da direção do Sindicato.

Para o servidor Luiz Fernando Carvalho, é preciso unificar as mobilizações com as de outras categorias do funcionalismo. “Sózinhos não teremos força suficiente para reverter os ataques movidos por Temer aos nossos direitos. Ataques que serão ainda maiores e vão atingir servidores da ativa e aposentados, além de segurados, pois o governo Temer não desistiu de votar e aprovar a reforma da previdência ainda este ano”, concluiu. Além da Norte, o Sindsprev/RJ organizará assembléias em outras gerências do INSS.
 
Durante a assembléia servidores foram informados da demissão do presidente do INSS, Francisco Lopes, também ocorrida na quarta-feira 16. Segundo notícias divulgadas pelos principais meios de comunicação empresarial do país, Lopes contratou a empresa RSX Informática Ltda para fornecer programas de computador ao INSS, mesmo após parecer emitido pela área técnica da autarquia indicar que os referidos programas não tinham qualquer utilidade para o Instituto. Lopes também teria ‘adiantado’ à RSX cerca de R$ 4 milhões. Segundo denúncia do jornal O Globo, a RSX funciona numa loja destinada a venda de bebidas.






     Voltar

Ir para o topo | Envie esta página para um amigo | © SINDSPREV 2007  |  Desenvolvido por Spacetec